top of page

Em Paris o mundo começou a ficar pequeno

Cheguei em Paris e o aeroporto era bem longe de onde eu ia ficar… Então lá vai eu pegar trem, trocar pro metrô, depois andar não sei quantos quarteirões. Estava super cansada e com a coluna doendo por estar com uma mochila simples e ainda estava chovendo. Mas com mochileiro não tem desculpa, táxi pra mim era impensável, ainda mais em Paris! Bora andar até chegar na casa das meninas que iriam me receber…


No caminho, escorreguei no chão molhado e caí, a sacola que eu estava carregando arrebentou e espalhou coisa pra tudo quanto é lado. Umas meninas estavam sentadas do outro lado da rua conversando quando viram e atravessaram a rua pra me ajudar. Juntaram as coisas, me ajudaram a levantar e perguntaram onde eu estava indo, eu mostrei o endereço e elas se ofereceram pra ir até lá comigo me ajudando a carregar a sacola e a mochila – viram no meu rosto o quanto eu estava esgotada. Não falavam quase nada de inglês mas a língua universal é a dos gestos e com essa todo mundo se entende. “Brasil” tambem é fácil de ser entendido em qualquer lugar do mundo e isso elas guardaram. Chegamos no portão do prédio e elas tocaram o interfone pra mim, esperaram minha host abrir e se despediram de mim. Uma ajuda valiosa!


Fui super bem recebida! Minha host me deixou à vontade pra se eu quisesse sair ou beber em casa, como eu estava morta mas queria interagir, preferi a segunda opção. Em poucos minutos tinha uma festa armada no apartamento, ela ligou pros amigos, eles levaram vinho, cidra, pizza congelada e lá estava eu feliz e entendendo porque mais uma vez todo o esforço tinha valido a pena!


Dois dias depois eu estava andando em um ponto turístico quando escuto alguém gritando “Brasil!!”, olhei mas pensando que não era comigo, e não é que eram as meninas que me ajudaram? haha…


Essa foi uma das primeiras coincidências que vieram pra me provar que o mundo é muito pequeno…


Depois dessa teve um viajante de bicicleta que conheci na Eslováquia e fui encontrar na Hungria... Uma menina que foi sentada no banco do ônibus ao meu lado para Auschwitz e que depois encontrei sem querer dentro de uma piscina em Budapeste e assim por diante...


O mundo é grande mas o mundo dos viajantes é pequeno!


E você, quais coincidências de viagem tem pra contar?

48 visualizações

Comments


bottom of page