top of page

Sufoco em Berlim!

Como hoje é a comemoração pela queda do muro de Berlim e estive no muro há 3 dias atrás, resolvi escrever sobre como foram meus dias por lá.




Fui para Berlim de avião e cheguei no aeroporto Schönefeld por volta das 18h. Me informei sobre o transporte público, comprei o bilhete válido por 100 minutos corridos e lá fui eu seguindo as placas para pegar o trem.

Um parênteses antes de continuar: toda vez que viajo de avião aqui chego super cansada da viagem, pois como utilizo companhias low cost – já estou escrevendo um post sobre elas, em breve termino – é sempre tenso a dúvida se a mochila passa ou não passa no limite de tamanho estipulado, longas caminhadas com o peso nas costas, 3 casacos um por cima do outro, 2 calças e mil coisas no bolso. Então sempre chego querendo ver banho e cama.


Voltando à minha chegada, me dirigi até a estação de trem. No caminho vi uma senhora sozinha carregando uma mala grande de rodinha e tentando equilibrar uma outra mala pequena em cima, além de estar carregando uma bolsa. Percebi o quanto estava difícil para ela carregar e ofereci ajuda. Ela já abriu um sorriso e pediu para eu ir carregando a mala de rodinha menor que ela tentava em vão apoiar por cima da outra. Fomos conversando no caminho e ela me disse que era alemã mas morava em Dublin – estava chegando para visitar a filha- e falou que eu iria adorar a cidade.


Chegamos em uma máquina que vendia bilhetes de trem, ela agradeceu a ajuda, disse que dali iria sozinha após enfrentar a fila (eu já tinha comprado no aeroporto) pois já estava pertinho de onde era a estação. Fez questão que eu anotasse seu sobrenome de casada, seu nome completo, seu endereço em Dublin com indicações detalhadas como “em frente tem uma loja com portão azul” e seu telefone. Falou que quando eu for à Dublin é para eu visitá-la. Agradeci o convite, me despedi e fui pegar o trem.


Outro parênteses: hoje resolvi contar tudo com detalhes para vocês entenderem o quão cansada eu estava quando tudo aconteceu!


Voltando, subi a rampa para pegar o trem e estou eu lá esperando quando escuto três brasileiros conversando. Todos com mochila nas costas, puxei assunto para saber se estávamos indo para a mesma direção. Então em 10 minutos de conversa percebi que um deles fazia parte do mesmo grupo que eu faço no whatsapp. É um grupo de mochileiros brasileiros que estão aqui na Europa agora em novembro e ninguém se conhecia antes – a maioria ainda não se conhece pessoalmente -, e através de um fórum de viagens foi criado esse grupo para fazer amizade, trocar dicas, informações, talvez encontrar e tomar uma cerveja na Europa, enfim… um grupo que ninguém se conhecia e eis que por uma coincidência do destino eu encontro ali naquela estação um integrante do grupo que estava chegando de um destino diferente do meu. Mais coincidência ainda!




O trem chegou, entramos, sentamos e fomos conversando até:

a) o destino final

b) cada um ir para o lado que teria que seguir

c) a próxima estação


É, minha primeira viagem de trem na Alemanha não durou nem 2 minutos. Opção C. Antes de chegar na próxima estação um fiscal se aproximou e pediu os bilhetes. Apresentei meu bilhete normalmente e continuei conversando. Porém, eu deveria ter autenticado o bilhete assim que cheguei na estaç